Banner Principal - Jornal de Vinhos
Português English Castellano


Informação | Vinhos Do Mundo

ESPUMANTES BRASILEIROS BATEM RECORDES DE VENDAS

A venda de espumantes produzidos no Brasil deve chegar aos 13 milhões de litros este ano, mantendo a tendência, iniciada em 2005.

25-04-2011/08H00 Edição MMS - Fonte: Ibravin: Foto D.R

____________________________________________________________________________________________

Dados do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) indicam que entre Outubro e Janeiro foram comercializados 7,9 milhões de litros. O volume é 21,2% superior ao do mesmo período do ano passado.

Em 2009, o consumo de espumantes brasileiros e estrangeiros chegou a 14,4 milhões de litros no País. Neste ano, deve subir para 17,3 milhões de litros, com uma fatia de 4,3 milhões de litros para os importados.

Entre os produtores de espumantes brasileiros, 90% dos quais localizados na Serra Gaúcha, as explicações para o crescimento da preferência pela bebida são quase unânimes. Todos apontam a percepção, no ano de 1999, de que havia mercado para o produto, seguida de investimentos em vinhedos, tecnologia e marketing como passos iniciais da escalada.

Ao mesmo tempo, a Serra Gaúcha passou a ser reconhecida como das melhores regiões do mundo para espumantes, à medida que análises técnicas indicavam que seu solo e clima são propícios à maturação adequada para a fabricação dos espumantes de uvas como a pinot noir, chardonnay, riesling, pinotage, moscatel e prosecco.

 À percepção do potencial da região e aos investimentos somaram-se outros dois fatores que explicam a crescente aceitação do espumante brasileiro. Um deles é o aumento do poder de compra, que fez muitos consumidores trocarem o «filtrado doce pelo moscatel e, com isso, migrarem para a etapa inicial do mundo dos espumantes».

Os produtores acreditam que o melhor ainda está por vir. A França produz 300 milhões de garrafas por ano e diz que o Brasil, com população de 190 milhões de pessoas, poder aquisitivo em crescimento e apenas 13 milhões de garrafas por ano, tem muito a crescer.

Se seguir no mesmo ritmo dos últimos cinco anos, o setor dobrará de tamanho nos próximos cinco. "O espumante brasileiro encontrou seu caminho."

Em 2009, os brasileiros venderam 18 milhões de litros de vinhos finos, correspondentes a 24,3% do mercado interno. Os números são muito inferiores aos 56,2 milhões de litros - 75,7% do total - comercializados por marcas estrangeiras no País. Os percentuais se mantêm em patamares muito próximos há alguns anos e devem se repetir em 2010.

Há pelo menos duas explicações para o fenómeno. O espumante de qualidade tem produção limitada, restrita a poucas regiões do mundo, enquanto o vinho fino em geral atinge volumes muito maiores e pressiona mais o mercado. Henrique Benedetti, presidente da União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra), lembra que os impostos aplicados sobre o vinho brasileiro chegam a 54%, enquanto os pagos pelos importados ficam em 35%, tanto por causa dos incentivos governamentais na origem quanto pela guerra fiscal entre os Estados brasileiros.

 

Imagem associada


JORNAL DE VINHOS 2008 v. 2 POWERED BY VBWORKS.NET