Banner Principal - Jornal de Vinhos
Português English Castellano


Informação | A Semana Crítica

PERDRIEL CENTENÁRIO TINTO 2005 (ARGENTINA)

A Alma de Lujan de Cuyo, Mendosa, Argentina.

Por: Peter WOLFFENBÜTTEL

É, a partir de hoje, nosso colaborador regular, dando-nos perspectivas do que melhor se faz no Brasil e no resto da América do Sul. Notas de Prova no fim do texto.

_______________________________________________________________________________________________

O produtor é Bodega Norton. O nome inglês vem de seu fundador Edmund James Norton que apaixonou-se pelas terras Mendoncinas quando da construção de estradas de ferro, isto lá pelos idos de 1895. Desde lá vem sendo uma das mais sólidas Bodegas (Viñas) argentinas. Produz vinhos mais populares e segue pela linha top como este Centenário.

A uva é a Malbec que veio na mala de algum imigrante do sudoeste francês. Em Cahors, sua cidade natal é chamada de Negra de Lot (rio) que cruza a cidade. Uma bastante tânica e encorpada que encontrou na sua pátria adotiva as condições ideias para chegar na plenitude que se encontra hoje.

O terroir (lugar) Lujan de Cuyo, sub-distrito de Mendonza está situada entre Mendonza e San Juan ao sul.

A paisagem desta região é belíssima, poucos lugares neste planeta são tão singulares e bonitos.  Cuyo está situada ao pé dos Andes, num clima seco que proporciona uma paisagem quase lunar. Toda a região é governada pelos Andes, desde o clima, com o vento Zonda, os granizos e  as tormentas de verão, passando pela  luminosidade e a irrigação feita através de canais de superfície do tempo dos Incas e pelos rios subterrâneos. Para chegar em Cuyo, necessariamente se passa por pequenos desertos.

Nesta área existe a maior concentração de produtores de vinhos finos na Argentina.

Cuyo concentra as seguintes 5 sub-regiões:

Em San Juan: Tulum e Ullum.

O grande oásis Mendoncino do rio Mendonza.

O vasto vale del Uco, desde Tupungato até San Carlos.

Depois, separado por quilômetro de distância onde a unica companhia no deserto são os cactos gigantes, está San Rafael.

Sem o sistema de irrigação por canal e por rios subterrâneos esta região não seria nada mais do que deserto. Nesta região o Malbec a Syrah encontraram local ideal para seu desenvolvimento.

É de se lembrar que a altura, neste local é muito importante para que haja a diferença de temperatura ao final do amadurecimento das castas, sendo assim as terras mais disputada são as que estão mais perto da cordilheira.

A tipicidade vem da região de Cuyo, única no mundo em termos de clima, solo e irrigação. O solo ideal para a vinha, na superfície a ausência de matéria orgânica o que faz com que as raízes descem mais de 20 metros para buscar alimento em seus diferentes substratos. O clima é ideal, invernos rigorosos e verões quentes e secos. A irrigação, nunca é demais repetir, é baseada nos canais, as vezes subteraneos de águas do degelo andino.


O VINHO: 

Este vinho é um corte Malbec/Cabernet  Sauvignon/Merlot elaborado para representar o centenário da Bodega. Ele tem 16 meses de barrica.

Elaborado na sub-região de Perdriel, epicentro de Luján de Cuyo, com vinhas de 50  a 80 anos de idade. Diga-se vinhas antigas produzem pouco mas com extrema qualidade.

Imagine beber um vinho de uma videira com 80 anos?  É algo maravilhoso. O vinho é um clássico andino. Forte, encorpado, firme, sem ser enjoativo. Cor vermelho escuro,  insondável como a noite. Nariz elegante de frutos vermelhos, chocolate e baunilha. Na boca taninos perfeitamente domados. Um vinho que enche a boca. Precisa de 1 a 2 horas de decanter.

Quem é Peter?

Peter WOLFFENBÜTTEL, 51 anos, advogado, é brasileiro e aos 20 anos de idade começou o namoro com os vinhos: «Primeiro os brasileiros, depois vieram os argentinos e chilenos, por fim com a globalização e a facilidade os europeus em especial os portugueses. Sempre tenho que vinho bom é aquele que dá prazer, claro que este horizonte de prazer pode ser aumentado com o estudo, degustações e comparações. E foi o que fiz. Por último senti a necessidade de divulgar minhas ideias sobre o vinho e, principalmente, desmistificar o mundo do vinho para que mais pessoas possam usufruí-lo. Nasceu, então, o blog alemdovinho».

 

Imagem associada


JORNAL DE VINHOS 2008 v. 2 POWERED BY VBWORKS.NET