Quando a sua amada esposa faleceu em 1994, Bruemmer plantou pelos jardins da quinta mais de 3.000 rosas. Hoje, estas rosas surgem eternizadas num vinho rosé leve, doce e refrescante que homenageia não só o seu fundador, mas também o amor eterno.

Preservando sempre a qualidade e o rigor que é inerente a qualquer vinho de assinatura Casal Sta Maria, este rosé, diz o enólogo, "foi produzido com uma visão muito clara: uma bebida leve, com tom rosado, que nos remete para os fins de dia veranis, e que complementa de forma ideal o já famoso vinho rosé Mar de Rosas".

Classificado como "fresco, elegante e frutado, o vinho rosé 3.000 ROSAS, apesar de menos gastronómico, é o complemento perfeito para um pôr de sol com amigos ou uma noite quente de verão. Com notas frutadas, o aroma base de pêssego salienta outros aromas exóticos criando um vinho que se torna fácil de beber e com baixo nível de álcool".

(PVP: 13.50€),

Ficha Técnica

VINHAS: Parcelas de vinha do Casal Sta. Maria, exclusivamente dedicadas à produção de rosé, desde 2017.

ANO VINÍCOLA: Comparativamente com os dois anos anteriores, o ano 2020 acabou por estar mais dentro da normalidade que se espera para esta região. No que diz respeito à precipitação, esta atingiu valores na ordem dos 600mm, tendo sido o mês de abril aquele que teve maior representação. Já no que toca à temperatura, a média mensal nunca ultrapassou os 20oC. De referir que o mês de agosto teve especial destaque, devido ao intenso nevoeiro que se fez notar, com apenas 3 dias de sol durante todo o mês.

VINIFICAÇÃO: Vindima manual, em que os cachos são cuidadosamente transportados para a camara de frio, evitando oxidações e extração de cor. Na adega, seleção em tapete de escolha, ligeiro esmagamento do bago por método centrifugo, seguindo-se prensagem a frio. O mosto decanta cerca de 48h em cuba de inox, iniciando posteriormente a fermentação, metade em barricas usadas e novas de carvalho francês de 225L e 500L e a outra metade em cuba de inox. Por fim estagia em borras finas cerca de 6 meses com bâtonnage.

PROVA DO ENÓLOGO: Elaborado para ser harmonioso e empático, tanto quanto identitário do nosso terroir, é um rosé onde a estética é critério absoluto. Ténue cor salmão de aspeto brilhante. Nariz com notas de pêssego e ligeiro mineral, a que se juntam elegantes apontamentos de barrica. No paladar apresenta-se fresco, ligeiramente salino, equilibrado e com sensações de agradável textura e intensidade.

CONSUMO: Deve ser bebido entre 8-10oC. Deve ser aberto entre maio de 2021 e agosto de 2022.

ENOLOGIA: Jorge Rosa Santos e António Figueiredo.

VITICULTURA: José Ribeiro Corrêa

Colheita: 2020 | Região: Lisboa | Variedades: Touriga Nacional, Pinot Noir e Syrah | Álcool: 12,5% | Acidez Total: 5,65g/l | pH: 3,52 | Açucares Residuais: <0,6g/l