Muito se tem escrito sobre a região de AOC Chablis (Appellation d’Origine Contrôlée = Denominação de Origem Controlada), localizada no norte da Borgonha. No inverno, estas paisagens deram lugar a um cenário que tem tanto de belo como de dantesco, com vários produtores a acenderem fogueiras no meio das vinhas para combaterem o inverno rigoroso e as geadas, numa tentativa de salvar as suas colheitas. Um fenómeno invulgar, mas revelador da resiliência que caracteriza esta região.

Mas este não é o único motivo que faz correr tinta sobre Chablis. Este é considerado, por unanimidade, um dos terroir de excelência para a Chardonnay. Ainda que a casta seja a mesma, dentro de Chablis cabem quatro perfis, profundamente marcados pelos microterroirs: Petit Chablis, onde são produzidos vinhos mais leves e jovens; Chablis, a chancela mais popular da região; Chablis Premier Cru, uma classificação dada apenas a 40 vinhas; e Chablis Grand Cru.

Independentemente da localização, em Chablis trabalha-se para produzir vinhos brancos de elevada qualidade, que expressem todo o potencial e pureza de aromas e sabores da casta Chardonnay. Um dos exemplos é a casa Domaine du Chardonnay, fundada em 1987 por três produtores que ambicionavam, em conjunto, criar uma marca consistente e capaz de levar Chablis para os quatro cantos do mundo. No final de 2018, a gestão foi entregue a Arnaud Nahan (foto), filho de um dos fundadores que cresceu com o projeto, e a Thomas Labille (foto), um experiente mestre de adega. Em conjunto, iniciaram uma profunda reformulação da empresa, modernizando a adega e reposicionando a marca, com especial foco nos mercados internacionais onde Portugal é assinalado como alvo estratégico.

O restante processo acabou por se desenvolver de forma natural, através de um encontro com Nádia Moreira, responsável pela Unlock Wines, que cumpria, assim, um sonho antigo de trazer para o mercado nacional os vinhos únicos de Chablis, uma das suas regiões de eleição.

No total, são seis as referências que compõem a gama da Domaine du Chardonnay: Petit Chablis 2019 (PVP 16€), Chablis 2019 (PVP 19€); Chablis 1er Cru Vosgros 2017 (PVP 33€), Chablis 1er Cru Montmains 2018 (PVP 33€), Chablis 1er Cru Vaillons 2019 (PVP 33€) e Chablis 1er Cru Mont de Milieu 2018 (PVP 35€).

Em comum partilham a missão de revelar todo o potencial e expressão da casta Chardonnay, sobretudo à nossa mesa. Vinhos frescos, minerais e aromáticos que acompanham na perfeição um alargado reportório de receitas da dieta mediterrânica e da cozinha tradicional portuguesa, como arroz de peixe e marisco, lavagante, massadas, polvo ou queijos DOP.