São sete os municípios do Douro e Tâmega que se juntam para capitalizar todo o potencial do Vinho Verde. O resultado será o “Roteiro Enogastronómico Verde Sentido” que juntará um conjunto de experiências turísticas únicas e distintivas, associadas aos Vinhos Verdes e alicerçada nas paisagens, produtos endógenos, gastronomia, tradições e costumes do território.

Promover turisticamente o Douro e Tâmega é o desafio do Verde Sentido que tem como premissa um conjunto de produtos distintivos e identitários do território, capaz de criar experiências exclu- sivas e únicas para os visitantes, onde os Vinhos Verdes são o baluarte. A estes produtos, junta-se o património histórico-cultural e as paisagens singulares, valorizadas pelos rios Tâmega e Douro a autenticidade e hospitalidade das suas gentes.

Neste sentido, está a apostar-se numa forte componente de capacitação e qualificação dos operadores turísticos do Douro e Tâmega, nomeadamente da restauração, de unidades de alojamento / enoturismo e de empresas de ani- mação turística, através da realização de ações conjuntas e individuais para o desenvolvimento e criação de um melhor serviço e incentivo para a utilização de produtos endógenos da região.

De facto, o Roteiro Enogastronómico “Verde Sentido” é um dos principais resultados deste trabalho de proximidade dos operadores turísticos que permitiu o levantamento, estruturação e criação de uma rede de oferta turística no Douro e Tâmega. Desde locais a visitar, aos sabores a não perder, a eventos obrigatórios, a sugestões de onde comer e onde dormir... Num único local é possível encontrar de forma rápida e cómoda um conjunto de ofertas imperdíveis numa visita ao Douro e Tâmega.

O Roteiro Enogastronómico Verde Sentido irá apresentar mais de 50 experiências turísticas distintivas para viver e sentir o Douro e Tâmega, as quais estarão reunidas num webiste, com várias sugestões de roteiro. Está, ainda, a ser desenvolvida uma APP, que pretende ser o braço direito de qualquer turista, aquando da sua visita.

Esta iniciativa surge no âmbito do projeto BTInova 2.0, apoiado pelo Sistema de Incentivos às Ações Coletivas, cofinanciados pelo Norte 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e é promovido pela Associação Empresarial de Amarante e da Associação de Municípios do Douro e Tâmega, em colaboração com os municípios de Amarante, Baião, Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto, Marco de Canaveses, Mondim de Basto e Resende.