O Altitude 430 resulta de um meticuloso trabalho de investigação das equipas de viticultura e de enologia que, juntas, se dedicam à exploração do potencial das castas autóctones da região do Douro.

Desta vez, o estudo foi feito com duas castas de referência para o produtor: a Tinta Francisca e a Touriga Nacional, com um fator novidade – ambas estavam plantadas precisamente a uma cota de 430 metros de altitude, com exposição a Norte.

Quer isto dizer que este vinho apresenta um perfil diferenciador da tradicional gama da Quinta do Crasto, que nos habituou a tintos com complexidade aromática, estrutura de corpo e potencial de guarda. O Crasto Altitude 430 apresenta um grau alcoólico mais baixo e uma agradável frescura e elegância, demonstrando todo o potencial das castas que o compõem quando plantadas nestas condições.

A par da estratégia de viticultura, está também uma vinificação diferente do habitual, com as uvas selecionadas a serem ligeiramente esmagadas e transferidas para cubas de fermentação em aço inox com controlo de temperatura, onde fermentaram durante quatro dias com maceração pelicular e extração muito ligeira. Seguiu-se uma prensagem para barrica usada de carvalho francês, onde terminou a fermentação e repousou durante 12 meses.

A colheita de 2021, a terceira desta nova gama, fica ainda marcada pela qualidade excecional deste ano vinícola, que ficará na memória pela produção de vinhos cheios, com excelente frescura, aromas muito finos e taninos de textura sedosa.

O Crasto Altitude 430 2021 apresenta cor granada, nariz expressivo com notas de frutos vermelhos em perfeita sintonia com suaves aromas de bosque e especiaria fina. Na boca, revela-se envolvente, sem pesar, a demonstrar toda a elegância das castas Tinta Francisca (70%) e Touriga Nacional (30%).

O PVP recomendado é de 17€.

Ano Vinícola

O ano 2021 ficará marcado pela frescura e elegância. Foi instável e consequentemente muito desafiante na vinha e na adega. Após um Inverno rigoroso, com bons níveis de pluviosidade, as videiras iniciaram o ciclo vitícola com boas reservas.

As temperaturas amenas desde o abrolhamento até à fase do pintor originaram que as videiras não sentis- sem grande stress, o que levou a que o ciclo da videira adiantasse aproximadamente 15 dias comparativa- mente à média dos últimos 5 anos. A vindima iniciou-se na última semana de Agosto com dias quentes e secos e noites frias. Nos dias 1 e 2 de Setembro vieram as primeiras chuvas e também uma diminuição das temperaturas médias, com a vindima a evoluir de forma serena e com temperaturas amenas. Um ano que ficará na memória pela produção de vinhos cheios, com excelente frescura, aromas muito finos, taninos de textura sedosa. Um ano muito elegante que dará origem a vinhos com excelente potencial de evolução em garrafa.

Castas

70% Tinta Francisca; 30% Touriga Nacional

Vinificação

As uvas, vindimadas e transportadas em caixas de 22 kg, foram sujeitas a uma rigorosa triagem à entrada da adega. Foram posteriormente desengaçadas, ligeiramente esmagadas e transferidas para cubas de fermentação em aço inox com controlo de temperatura, onde fermentaram durante 4 dias com macer- ação pelicular e extração muito ligeira. Foram depois prensadas para barrica onde terminaram a fermen- tação.

Envelhecimento

Durante 12 meses em barrica usada de carvalho francês.

Nota de Prova

De cor granada, apresenta no nariz expressivas notas de frutos vermelhos em perfeita sintonia com suaves aromas de bosque e especiaria fina. Na boca inicia de forma envolvente, evoluíndo para um vinho de excelente volume e textura fina. Um vinho que demonstra toda a frescura e elegância das castas Tinta Francisca e Touriga Nacional quando plantadas a uma cota de altitude de 430 metros e exposição norte. Um vinho sedutor que termina com excelente frescura e muita elegância.

Informação Técnica

Idade das Vinhas

17 Anos

Exposição e Altitude

Norte
430 metros

Sistematização

Vinha ao Alto;
Vinha em patamares de 2 bardos

Álcool Dados Analíticos

12,5% Acidez Total: 4,8 gr/L pH: 3,57

Açúcar Residual: 1,6 gr/L