A vindima de 2019 foi um bom desafio e em boa parte devido á época de chuvas concentrada apenas no mês de Abril, por conseguinte maior parte das castas resistiu a quaisquer danos posteriores. O Verão mostrou-se mais fresco em comparação com colheitas anteriores, o que permitiu que as uvas atingissem um equilíbrio muito bom na vindima. Por seu turno, em 2021 a primavera e verão foram amenos e secos, diminuindo a pressão de doenças e prolongando o ciclo vegetativo.

Ambos os vinhos são provenientes de uvas de vinhas de sequeiro, rodeadas de montado, ovelhas, lebres, aves de rapina, morcegos e muitas outras espécies que ajudam a manter o equilíbrio do ecossistema da vinha e a controlar o aparecimento de pragas.

Hoje, toda a propriedade que dá origem a esta marca histórica, assenta a sua gestão em práticas sustentáveis e de regeneração do território, sendo a agricultura biológica e regenerativa um pilar vital de tudo o que é produzido e oferecido na Tapada de Coelheiros.

Este tipo de práticas, potencia a resiliência das plantas e dos seres que as rodeiam, criando um equilíbrio favorável a uma produção saudável e qualitativa.” complementa João Raposeira, responsável pelo campo e ecossistemas.

Por seu turno, Luís Patrão, o enólogo, sublinha que “Os vinhos da Tapada de Coelheiros evocam a essência única de cada parcela de vinha de onde têm origem. Com elegância excepcional e complexidade notável, cada colheita é um reflexo do empenho e da atenção meticulosa que dedicamos a este território.”

O Tapada de Coelheiros Tinto 2019 é um blend de Cabernet Sauvignon (70%) e Alicante Bouschet (30%).

É um vinho de cor rubi profunda, com a complexidade aromática do cabernet a sobrepor-se, frutos pretos maduros como ameixa e cassis, envolvidos por notas subtis de especiarias e grafite. No palato comparece cheio, elegante, fresco, persistente com taninos bem trabalhados e final de boca longo.

P.V.P. Recomendado: 30€

O Tapada de Coelheiros Branco 2021 um blend de Arinto (50%) e Roupeiro (50%).

Mostra um nariz citrino marcado pela toranja. A barrica está muito subtil e na boa mostra alguma untuosidade, persistência e vitalidade. Um belíssmo branco.

P.V.P. Recomendado: 30€