Em plena Serra de Montejunto, numa encosta orientada a poente, próxima das aldeias de Avenal e do Pereiro, uma parcela de Vital, com mais de 40 anos, resiste ao clima agreste. Mostra-se bela e vigorosa e distingue-se das vinhas abandonadas que por ali se encontram. É um pequeno tesouro, considerando-se a especificidade da própria variedade (viticultura difícil), a sua raridade (existem referências a apenas cerca de 20 hectares em todo o país), o local específico (Montejunto é um dos emblemáticos terroirs de expressão da variedade) e... os vinhos que pode originar.

Na sequência de uma parceria com o proprietário da vinha, um agricultor local, a AdegaMãe iniciou, em 2018, a vinificação das uvas oriundas desta vinha. O enólogo Diogo Lopes desenvolveu vários testes de fermentação e estágio, incluindo em madeira e num ovo de cimento, e é precisamente um lote dessa experimentação que agora chega ao mercado, com a designação AdegaMãe Vital Vinhas Velhas 2018. O primeiro Vinhas Velhas da casa de Torres Vedras e, ao mesmo tempo, a referência de estreia numa série de novos vinhos de parcela que, após dez anos de experiência acumulada no projeto AdegaMãe, começa agora a ser lançada.

“Talvez a palavra complexidade seja a que melhor define o Vital. É uma casta reconhecidamente difícil e, por isso, progressivamente abandonada, mas que pode revelar vinhos extraordinários, com uma evolução sublime. Três anos depois da vindima, em 2018, a nossa primeira experiência está precisamente a começar a revelar-se”, afirma o enólogo Diogo Lopes. “Acredito que estamos perante um vinho muito especial, que ajuda a valorizar a variedade e, em particular, o notável trabalho de viticultura desenvolvido pelo produtor, o senhor Delfim, que, desde logo, aceitou desenvolver esta parceria tão especial com a AdegaMãe. Com este Vital podemos inaugurar da melhor forma uma série de novos vinhos de parcela que daremos a conhecer em breve”.

A par do AdegaMãe Vital Vinhas Velhas 2018, as propostas de verão da AdegaMãe agora lançadas incluem ainda a nova colheita 2020 do emblemático Dory Branco, bem como o primeiro Dory Rosé, vinhos que se destacam pelo seu carácter atlântico, de enorme frescura e mineralidade. “O Dory Branco tornou-se um grande valor do segmento. Um dos excelentes vinhos de verão, fresco, aromático, perfeito para os momentos de brinde ou para as mesas de peixes e de petiscos. A nova colheira honra precisamente esse perfil”, afirma Diogo Lopes. “O nosso novo Rosé dá igualmente seguimento à identidade Dory e é o passo natural na oferta da nossa principal marca, com um vinho fresco, vibrante e delicado”, termina Diogo Lopes.

Antevisão da nova imagem AdegaMãe

Com estas novidades, cumpridos 10 anos após a apresentação do primeiro vinho, a AdegaMãe inicia, igualmente, o processo de lançamento de novos rótulos no mercado. O primeiro passo para aquela que será a apresentação da nova imagem AdegaMãe, que terá lugar depois verão.

AdegaMãe Vital Vinhas Velhas 2018

Notas de prova do enólogo:

Vinho de cor limão palha, atrativa; boa concentração aromática, só conseguida pela idade das vinhas que lhe deram origem. Nariz com aromas florais, fruta branca e uma nota de pólvora que contribui para a sua riqueza aromática; vinho seco, com uma acidez fresca, boa textura no paladar, com diversas camadas de complexidade, resultando num final rico, volumoso e equilibrado.

Preço indicado: 20,00€

Produção: 3.000 garrafas

.

Dory Branco 2020

Notas de prova do enólogo:

Com uma boa intensidade aromática, este vinho mostra juventude e boa concentração de notas citrinas, espargos e ligeiro tropical; corpo médio, com acidez refrescante e leve cremosidade, suave, e final com presença de boa fruta e toque salino.

Preço indicado: 4,99€

Produção: 100.000 garrafas

.

Dory Rosé 2020

Notas de prova do enólogo:

Vinho de cor salmão brilhante e atrativa; boa intensidade aromática, fresco, mostrando bem a sua juventude; notas vegetais seguidas de fruta, como pêssego e morango, num conjunto vivo e equilibrado; corpo médio, mas bem estruturado, combinando uma boa acidez e frescura da fruta, fechando de forma elegante e viva.

Preço indicado: 4,99€

Produção: 30.000 garrafas