“O sucesso da Taylor’s Historical Collection levou-nos a lançar uma terceira edição. Estas edições limitadas de garrafas históricas são um tributo à longa e rica história do Vinho do Porto e dão continuidade à nossa longa tradição de inovação. Apresentadas em embalagens colecionáveis e exclusivas, estão desenhadas para atrair - novos e atuais - consumidores e também colecionadores de Vinho do Porto”, refere o director geral da Taylor’s, Adrian Bridge. E acrescenta: “A elegância e o cunho histórico da embalagem fazem dela o presente que qualquer um gostaria de receber”.

A nova garrafa da Taylor’s Historical Collection é inspirada nas garrafas em forma de "maço-cilíndrico" que se estabeleceram em Inglaterra por volta de 1750. Os lados da garrafa eram frequentemente afilados em direção ao ombro, em vez de completamente paralelos. Esta edição limitada é inspirada naquele período, o antecessor imediato da garrafa de vinho cilíndrica dos dias de hoje.

O lote do vinho foi cuidadosamente elaborado para esta edição a partir de Vinhos do Porto especialmente selecionados das extensas reservas de tawnies da Taylor’s. O seu perfil, exclusivo para esta edição, apresenta a riqueza característica dos vinhos Taylor’s, com um final distinto e firme. O vinho é um Tawny habilmente lotado, harmonioso e equilibrado, com toda a intensidade e requinte que derivam do envelhecimento em velhos cascos de carvalho.

David Guimaraens, enólogo da Taylor’s, refere: “Este lote foi cuidadosamente selecionado e lotado para esta edição limitada. Apresenta a riqueza e a profundidade de sabor características do estilo único da Taylor’s, bem como um final muito longo e distinto”.

Esta edição histórica vem apresentada numa embalagem contemporânea onde se destaca a elegância da garrafa, gravada com o distintivo símbolo “4XX” utilizado pela Taylor's. O histórico símbolo 4XX da Taylor’s aparece na primeira garrafa conhecida com uma marca comercial e passou a ser usado após a fundação da empresa, em 1692.

A primeira edição da Taylor’s Historical Collection foi lançada em 2017 para celebrar o 325.º aniversário da Taylor’s, com recriação de uma antiga garrafa em forma de ‘cebola’, característica do final do século XVII, com data próxima da fundação da Taylor’s. A segunda edição, lançada em 2019, foi inspirada numa histórica garrafa inglesa, cujo pico de utilização ocorreu entre os anos 1715 a 1740. Estas tinham uma forma oval e estreita, sendo frequentemente descritas como ‘castanha achatada’.

O novo Taylor’s Historical Collection estará disponível nas lojas da especialidade com o PVP recomendado de €34.50.

Notas de Prova do Enólogo:

Tonalidade castanho-avermelhada profunda no centro com um bordo estreito cor de tijolo. O nariz maduro e opulento abre-se com um aroma quente de café, caramelo e frutos secos, com notas de ameixa e passas. Em torno deste núcleo rico e suave estão camadas de aroma picante, amadeirado e de nozes, bem como discretos aromas florais, conferindo ao vinho uma complexidade intrincada, subtil e sedutora. Na boca é redondo e denso, com uma textura macia e sedosa. Combina com um delicioso toffee e sabores de frutas em conserva que continuam no final longo e quente. Este vinho é uma demonstração impressionante da tradicional arte do lote e envelhecimento em casco, onde cada componente é perfeitamente integrado e confere uma dimensão extra de aroma e sabor.

Evolução do formato da garrafa de vidro

No início do século XVIII, as garrafas eram sopradas à mão e tinham formato bulboso. Não podiam ser deitadas e, portanto, eram inadequadas ao envelhecimento do vinho em garrafa. Estas garrafas eram usadas principalmente para transportar o vinho da pipa do comerciante para a mesa do consumidor. Como as garrafas eram caras, eram reutilizadas e frequentemente exibiam o brasão ou as iniciais do seu dono.

Com o avançar do século XVIII, as garrafas tornaram-se mais altas e mais cilíndricas. A forma inicial de ‘cebola’ bulbosa gradualmente evoluiu para uma garrafa mais alongada, de lado reto e com gargalo mais longo. O primeiro estágio nesta evolução foi o aparecimento da garrafa em forma de ‘maço’, que se tornou bem estabelecida em Inglaterra por volta de 1730. Como as suas predecessoras, as primeiras garrafas de ‘maço’ eram atarracadas. Os lados eram frequentemente afilados em direção ao ombro, em vez de completamente paralelos. No entanto, por volta de 1750, a garrafa 'maço' desenvolveu uma forma mais cilíndrica. A garrafa desta edição limitada é inspirada na garrafa 'maço-cilindro' daquele período, a antecessora imediata da garrafa de vinho cilíndrica de hoje.