Depois de 16 anos de interregno, o maior evento profissional para a Viticultura e Enologia – a Enotécnica -, volta à Exponor, entre os dias 7 e 8 de fevereiro, para promover o setor dos vinhos e destacar as tendências que estão a transformar o setor. Em destaque nesta edição estará o Espaço Vine&Wine, no qual vão participar algumas das empresas deste consórcio, criado para aumentar a competitividade e resiliência do setor da vinha e do vinho, em Portugal.

O projeto Vine&Wine, liderado pela Granvinhos, faz parte das Agendas Mobilizadoras para a Inovação Empresarial, apoiadas em 41 milhões de euros pelo PRR (Plano de Recuperação e Resiliência e pelos Fundos Europeus) e, até à data, é constituído por 44 entidades, entre empresas, universidades e associações, a desenvolver até 2025. João Lacão, coordenador do Vine&Wine Portugal, explica que "sendo a inovação para a sustentabilidade o mote da Enotécnica, a nossa presença é obrigatória, dado que o principal objetivo do projeto é impulsionar o crescimento sustentável por via da inovação. Existe uma sinergia óbvia entre os objetivos da Enotécnica e os resultados a alcançar com o desenvolvimento dos 30 PPSs (Produtos, Processos e Serviços) inovadores da Agenda, perspetivando-se uma extraordinária contribuição para a transição digital, ambiental e energética, para a geração de atividades de maior valor acrescentado e intensivas em conhecimento, geradoras de competitividade, de notoriedade e de diversificação do vinho português nos mercados internacionais.

No espaço único dedicado ao Vine&Wine, o futuro do setor estará em exibição. Até à data, João Lacão refere que "os PPSs com maior grau de maturação ainda se encontram abaixo da execução de 50%", contudo, na Enotécnica, será possível verificar a evolução da maioria dos projetos em curso. Robôs para executar tarefas de fertilização, sistemas híbridos de energia (até ao momento, com dois pilotos instalados), um novo herbicida mais ecológico e menos tóxicopara as culturas, uma plataforma de apoio à gestão de operações vitivinícolas, a formulação de uma película protetora para as videiras (escaldão) e um drone multirotor pulverizador são alguns dos PPSs que levam maior avanço.

Para cumprir o objetivo de fortalecer o tecido empresarial e impulsionar o setor vitivinícola, a Enotécnica apresenta ainda o programa "Jornadas Técnicas", de modo a garantir a troca de conhecimento . Durante os dois dias, fazem parte do plano atividades complementares, tais como palestras e workshops. Na jornada, o consórcio Vine&Wine vai coordenar a realização de quatro workshops com temas determinantes, tais como as alterações climáticas, a digitalização do setor, reutilização da águae a boa gestão da biodiversidade e dos ecossistemas.

Os visitantes do certame vão ter a oportunidade de explorar uma ampla variedade de produtos e serviços, através das cerca de 50 empresas expositoras que desempenham um papel direto na evolução da fileira vinícola. Viticultura, vinificação/enologia, embalamento, serviços de consultoria e design, bem como de armazenamento e transporte são os setores em evidência.